Seu post no Chá da Tarde

Oi, leitores do Chá da Tarde. Fiquei muito feliz e assustada por ter a chance de escrever aqui sobre uma das coisas que mais gosto: SÉRIES!

Meu nome é Camila, tenho 22 anos e sou de João Pessoa na Paraíba, a cidade onde o sol nasce mais cedo, tipo, umas 4:30 da manhã às vezes já tá claro (humpf). Faço curso de farmácia, e agora na greve me dediquei totalmente aos chocolates e seriados.
Vou fazer uma lista dos que eu mais gosto, espero que gostem ;)

SHERLOCK

Como a maioria das pessoas já assistiu ao filme é bem mais fácil entender a série que se passa na Londres dos dias de hoje, diferente do filme que é tipo 1.890 – 1.920. Ela é tão bem dinâmica, os episódios mais parecem filmes com mais de 90 minutos, mas não cansa. O inglês britânico lindo de se escutar mas parece um trava línguas quando Sherlock começa as deduções (loucas) dele. No primeiro episódio, Sherlock conhece o Dr. Watson seu fiel escudeiro, eles se mudam para o famoso e bagunçado (dados na geladeira, tiros na parede) apartamento 221-B, desvendam um mirabolante caso de suicídios que ele tem certeza que são assassinatos em série (alguém duvida de algo que ele diz?) e fica sabendo que ele tem um fã/arqui-inimigo: Moriarty, além de escultar bastante ele falando “elementar meu caro watson”. As temporadas tem 3 episódios  e ano que vem vai passar a 3° temporada.

THE SECRET CIRCLE

Quem gosta de filmes de bruxarias, feitiços, um pouco de homens bonitos pode começar a baixar o seriado urgentemente. A série fala sobre a Cassie, que depois que perdeu a mãe em um incêndio, tem que se mudar para uma cidade pequena e morar com a avó. Ela vira visinha do Nick, um loiro ácido e muito lindo, que fica com Melissa, que é melhor amiga da Faye (lembram da sereia morena do H2O?) que vive implicando com a Diana por achar que ela manda no grupo, que namora com o Adam (lindo), por quem ela vai ter uma tombo catastrófico. Eles seis foram um grupo ‘secreto’ de bruxaria, mas que nem é tão secreto assim, porque a cidade quase toda já praticou feitiços anos atrás. Fora os romances, o humor ácido da Faye, os segredos que rondam a morte dos pais de cada um deles começam a acontecer umas paradinhas muuuuitos estranhas. Infelizmente a série parou na 1° temporada, agora é só rezar para ela voltar.

SAVING HOPE
Sangue jorrando, paciêntes gritando, pessoas morrendo, e médicos friamentes os tratando. Quem gosta de seriados médicos (eu õ/) vai adorar esse que é bem mas HUMANO do que house (que ue també amo mas é muito clichê). O seriado gira em torno de casais de médicos (Alex e Charlies)  que iam se casar, e sofrem um acidente indo para o casamento, ele consegue salvar a mulher do outro carro, mas logo depois começa a passar mal e entra em coma. E entre a ‘vida e a morte’, ele ficava pelambulando no hospital, acompanhando a vida da noiva e de outras pessoas. Entre os casos que ocorrem em cada episódios, ele sempre acaba conheçendo os pacientes que também ficam em coma, mas se salvam, ou morrem, e ele vai ficando. Entre os outros médicos do seriado aparecem: O ex namorado da Alex, que começa a atrabalhar no mesmo hospital, uma residente de medicina muito nervosa por ter medo de errar em algum procedimento e um psiquiatra limdjo de morrer! Dá pra rir e chorar. chorar muito.

NEW GIRL

O seriado conta a história da Jesse, uma mulher/menina que depois que descobre que o namorado amado idolatrado salve salve a traiu, vai morar com 3 homens: Nick, um barmam; Schmidt, um conquistador profissional, e Winstom, um jogador de Basquete fracassado. Juntos eles passam por poucas e boas, enquanto a Jesse arruma uns namorados meio sem futuros, o Nick passa pro crises de meia idade(?), o Winstom vira babá de um menino de 8 anos e Schmidt tenta conquistar a melhor amiga da Jesse que é modelo. rende infinitas risadas e firma meu pensamento de que amizade entre homem e mulher existe sim, obrigada! A Jesse é uma graça, faz piadinha de tudo, e tem o costume de fazer riminhas e cantar músicas. Ainda dá pra pegar o seriado, a segunda temporada ainda vai começar.

ONCE UPOM A TIME

Para quem como eu, assistiu totod os filmes da Disney, essa série é um verdadeiro conto de fada. Com um enredo que conta cada episódio uma parte da história do personagem e como eles interagem entre sí, e com muitas mudanças, diga-se em passagem, a final de conta você acreditaria que Chapeuzinho Vermelho na verdade era o Lobo Mal? Toda a serie gira em torno da Emma, que seria a filha da Branca de Neve e do Príncipe Encantado, e a única a podi quebrar um fentiço que a Bruxa Má jogou neles.
O problema é que a Bruxa lançou o fentiço nos tempos dos contos de fadas, e o seriado é nos dias de hoje, então a Emma não acredita muito nessa história de fentiço, mas entra na onda Henry que é seu filho, que ela deu pra adoção e que foi adotado pela prefeita da cidade que é a … Bruxa Má. muito linda a história e tem muitos gatinhos indo e vindo.
Vale super a pena. Setembro começa a segunda temporada, já estou anciosa.

Boom, deu 5 dicas de seriados que eu adoro e sou muito viciada. Tentei fugir dos clichês como House, Gossip Girls, Gilrs, Nikita, Fringe, PLL, Game of therones, que são mais conheçidas. Espero que gostem ;)

Anúncios

Seu post no Chá da Tarde.

Olá leitores do Chá da Tarde, é uma honra ter um texto de minha autoria sendo publicado neste blog tão intenso em seu trabalho. Agradeço desde já a oportunidade.
Me chamo Vinicius Augusto, tenho 18 anos e sou de São Paulo Capital, estudo e trabalho e nas horas vagas o que mais gosto fazer é expressar através de texto tudo aquilo que sinto. Vamos lá?.

                                                                   Secretamente ela

Como se o que precisasse fosse apenas minhas asas pra voar.
Seria um deletar as coisas sem medo, sentir o pulso de minhas próprias idéias e conseguir conviver com meus erros mais intragáveis. Dar valor as pessoas que realmente mereciam e ao que realmente estava perdido. É a necessidade de um viver sem depender de absolutamente ninguém.
Talvez fosse isso que precisasse ou no fundo quisesse provar.

A menina do apartamento ao lado, me faz sentir todo o seu amor pelo rock enquanto o esculta, quando nossos olhares se cruzam rapidamente no elevador, seus olhos me dizem que já se apaixonou, mas deixou de lado todo esse amor. Seu coturno é tão pesado e sua maquiagem é forte demais, seus lábios não se curvam em nenhum movimento, tento, mas não consigo dar bom dia com medo dela não responder. Ela esculta Wasting Love, e eu secretamente me pergunto se ela já foi feliz. O elevador chega ao térreo e ela sai sem olhar pra trás. Talvez a forma que ela pisa com seu pesado coturno deixa-me um pouco espantado. Impondo respeito até nos desconhecidos, ela deixa um ar de quem já aprendeu com seus próprios erros e por opção prefere continuar errando.
Os garotos do prédio não enxergam que dentro dela tem um coração acelerado batendo forte que fortalece suas mágoas se exteriorizando nos seus olhos marcados, que um dia foram transformados de um passado alegre, inocente e apaixonada para mágoa, depressão, vazio, perdas, desilusão, tristeza e solidão. Sim, ela já foi feliz, e um dia ela soube o que era amar.
Seu rosto era o que sempre quis ter, os olhos de quem já chorou por milhares de noites e no dia seguinte acordou sem ao menos se lembrar. Seu seu nome e o número do seu apartamento, já observei seu jeans velho que deve ter sido adquirido ou roubado de um brechó, e que seu gosto musical vai do rock ao rock, sendo sua banda predileta Iron Maiden, mas seu celular vibra com canções da  sua adolescência. Seus batom vermelho Chanel é para os dias chuvosos e que seu melhor amigo é seu cachorro que não deve acha-la sua melhor amiga, pois comeu seu coturno vermelho e também o buquê de rosas vermelhas que fora deixado na  porta de seu apartamento.
Gostaria de penetrar na sua mente perturbada e entender como seus olhos de um preto penetrante enxergam o mundo. Se pudesse ler seu diário – caso ela tivesse um – descobriria seus segredos e seus acertos, saberia tudo sobre os meninos que já conseguiram conquistá-la.
O buquê de rosas vermelhas destruídos, a carta em sua porta, as ligações que ela supôs ser engano, o açúcar emprestado e os passos no corredor que fazia sem o cachorro latir e até a bomba na escada de incêndio foram eu, na minha tentativa de me aproximar. Passei oito dias e sete noites observando seus passos e o volume de sua fala, na frequência que ia a padaria e o que trazia nas sacolas. Comecei a me fissurar e de alguma forma me encontrava apenas nela, buscando seus olhos negros. Enxergava nela o que apagava de mim, não queria perseguir seus sonhos ou viver sua vida. Não queria me apaixonar pelos CD’s que ela jogou do terceiro andar. Só queria estar ali, para observar o seu dia-a-dia.